NARRATIVA

O filme começa com o protagonista acordando ainda de noite. Ele levanta da cama e vai direto para a janela. Ele olha o sol nascer no horizonte.

“O HOMEM DO CAMPO É UM BICHO DIFERENTE

SOBREIVE AS SECAS,

AS PRAGAS,

E AS ENCHENTES.”

No nascer do sol ele termina de armar uma cerca. Carrega madeira e martela os pregos.

No meio de uma chuva ele carrega um bezerro no colo.

“E APESAR DA VIDA DURA

SUPERA COM TRABALHO

A FALTA DE INVESTIMENTO

E DE ESTRUTURA”

Dentro de casa, todo molhado ele olha o computador, na tela vemos uma previsão do tempo péssima e gráficos de bolsa, todos no vermelho.

Ele corre para o meio do campo, no horizonte vemos chamas. Ele tenta apagar o fogo jogando terra.

NÃO BASTASSE A CONDIÇÃO PRECÁRIA

AINDA TEM A CRISEM

O DÓLAR E A CARGA TRIBUTÁRIA."

Vemos ruas vazias, ninguém a vista.

É noite, ele está no meio do campo com bois.

“ELE NUNCA DEIXA DE CRER.

CONTINUA PLANTANDO,

MESMO SEM SABER

SE UM DIA VAI COLHER."

Do meio da chuva e da fumaça, vemos faróis se ascendendo.


De dentro vemos o painel da S10 ascendendo.


De repente, do meio da fumaça sai a S10. Ela passa levantando terra.

A S10 por um rio levantando água. Vemos de todos os ângulos.

Desatola um caminhão na estrada.

S-10 correndo por uma paisagem linda com a caçamba lotada de equipamentos.

A S-10 passa por silos ao fundo e vai em direção a uma cidade no horizonte.